NOSSA PÁGINA

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Carnaúba Copernicia prunifera (Mill.) H.E.Moore; Flora do Rio Grande do Norte.


INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A CARNAÚBA(Copernicia prunifera Mill.).
   Também chamada de árvore da vida,a Carnaúba só existe em um lugar do mundo: o Sertão do Nordeste Brasileiro. Essa palmeira,que cresce até 15m de altura,é uma feira natural de utilidades: o tronco é usado na construção de casas. Os frutos servem para fazer farinha e uma bebida semelhante ao café. Mas o tope de linha da carnaúba é a cera,um protetor solar de fator muito mais alto do que outro protetor vendido no mercado. Sendo natural do sertão,onde a temperatura está sempre acima de 30ºC,a cera da carnaúba só derrete acima dos 84ºC. A cera é produzida nas células internas da folha e escorre para a superfície. Cobertos por essa película,os poros ficam vedados e impedem que a planta perca muita água por transpiração.
 Atualmente,a cera dela é usada para encerar mangas e maçãs,evitando assim a perda de água e de qualidade das frutas. Com ela também se fabricam cápsulas para remédios e revestimento de comprimidos. As tintas térmicas usadas na impressão dos códigos de barra ficam mais eficientes quando a cera da carnaúba entra em sua fórmula. Até a informática ganhou. Devido a sua capacidade isolante,a carnaúba foi parar dentro dos computadores. Mas é no brilho que está a força da cera da carnaúba.móveis e carros ganham o mais resistente e intenso brilho que existe entre todas as ceras naturais conhecidas. Graças à estrutura de suas moléculas,é quase invulnerável. Análises químicas indicam que numa escala de 0 a 10,a dificuldade de a cera da carnaúba ser riscada é oito. Ela é conhecida como a árvore de brilho próprio.
Árvore da família Palmaceae, a mesma família a qual pertence o Coco-da-baía.

BIBLIOGRAFIA:

Lemos, Francisco. Natureza Viva. Casa Publicadora Brasileira,2001.
-->

Renato Braga.Plantas do nordeste,especialmente do Ceará. Fortaleza:coleção mossoroense-volume XLII,1996.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário