NOSSA PÁGINA

sábado, 10 de abril de 2010

Cobra-de-duas-cabeças Amphisbaena alba Linnaeus, 1758; Fauna do RN

   Conhecida como cobra-de-duas-cabeças,cobra-cega ou mãe-do-formigueiro e cientificamente como Amphisbaena alba. Ela pertence a família Amphisbaenidae. 
Reflita: ao contrário do que as pessoas dizem, que é uma "cobra" e tem veneno, na verdade é um "anfisbenídeo", ou seja, é um réptil Squamata que pertence a subordem Amphisbaenia, tem hábito fossorial e não é venenoso, mas se perturbado e ou manipulado pode dar uma mordida dolorosa (adultos).
   Também não tem duas cabeças, o que ocorre é que a cauda curta parece uma cabeça. Apresenta hábito fossorial,ou seja,vivem em galerias abaixo do solo. São freqüentemente ativos de manhã cedo e durante chuvas fortes. Este anfisbenídeo ocorre numa variedade de habitats em grande parte da América do sul a leste dos Andes. 


   Alimentam-se de minhocas, formigas e outros insetos.  Quando ameaçada apresenta o comportamento de abrir a boca e erguer a cabeça e cauda. Os machos podem medir até 766mm e as fêmeas 740mm. A cor do adulto varia de marrom claro com ventre branco a quase totalmente branca, mas os juvenis podem ser mais escuros. Cada olho rudimentar é coberto por uma escama.

BIBLIOGRAFIA:

Freire, Adauberto Antônio Valera. Fauna Potiguar. Natal: EDUFRN, 1997

Neto, Miguel Rocha. Guia ilustrado: fauna da escola das dunas de Pitangui-ecossistemas terrestre. Natal: moura ramos, 2001.

Vitt et al. Guia de Lagartos da Reserva Adolpho Ducke, Amazônia Central =
Guide to the Lizards of Reserva Adolpho Ducke, Central Amazonia /
Manaus : Áttema Design Editorial, 2008.

Vários colaboradores. Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo. Parque da cidade: um convite a preservação ambiental / Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo; Natal: Departamento de Informação, Pesquisa e Estatística, 2008.  
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um comentário:

  1. olá amigo chico,
    bela postagem.Eu conheço bem essa cobra de duas cabeças,pois esses dias encontrei uma próximo da casa de minha mãe...,até fiz um filme e tirei fotos,...ela se defendia com a cabeça e com o rabo,ao mesmo tempo,dando a impressão que tinha realmente duas cabeças...É uma pena,que até as cobras estejam desaparecendo de nosso semiárido nordestino...

    Abraço.
    paulo Romero.
    Meliponário Braz.

    ResponderExcluir