NOSSA PÁGINA

domingo, 6 de junho de 2010

Cascavel(Crotalus durissus); Fauna do Rio Grande do Norte.

    Cascavéis são serpentes peçonhentas que apresentam dentição do tipo solenóglifa,da família Viperidae,a mesma família das Jararacas e Surucucus.
    Reflita: A nossa cascavel possui veneno neurotóxico,que ativa no sistema nervoso,fazendo com que a vítima tenha dificuldades em se locomover e respirar. Depois das jararacas são as que mais causam acidentes ofídicos no Brasil. São perigosas,mas não agressivas,fugindo quando avistadas. Sua principal ameaça é a matança indiscriminada feita pelo homem.
   Seu nome válido atualmente para a ciência é Crotalus durissus. São vivíparas, e se alimentam principalmente de pequenos mamíferos e aves. Habita caatingas,campos e cerrado.
    As cascavéis possuem um chocalho característico na cauda e estão presentes em todo o continente americano. Ao contrário do que muitas pessoas pensam,o número de anéis no chocalho da cascavel,não representa sua idade. Cada vez que o animal muda de pele,o que ocorre de 2 a 4 vezes por ano, ele acrescenta geralmente um novo anel,na ponta da cauda. O que acontece é que toda vez que troca de pele,mantem parte da pele antiga enrolada na cauda em forma de um anel. Com o passar dos anos,estes pedaços de epiderme ressecados formam os quizos que, quando o animal vira a cauda,balança e causa um ruído caractrístico.
   A finalidade do som produzido pelo quizo é para advertir possíveis intrusos da sua presença naquela área, e uma forma de espantar predadores,sendo uma maneira de evitar o confronto. alcança 1,80m de comprimento.
   Durante as minhas excursões pelo estado do Rio Grande do Norte só vi essa serpente uma vez em seu habitat, foi no município de Lajes em 2013. Apesar de ser cada vez mais difícil um encontro natural com ela em nosso estado devido principalmente a matança indiscriminada, tenho encontrado "registros fotográficos" dela em outros municípios potiguares, como Cerro corá, Itaú e em Martins.

REFERÊNCIAS:
 
Jocy Brandão CRUZ, Diego de Medeiros BENTO, Darcy José dos SANTOS, José Iatagan Mendes de FREITAS, Uilson Paulo CAMPOS. COMPLEXO ESPELEOLÓGICO DA FURNA FEIA (RN): UMA PROPOSTA DE UNIDADE DE CONSERVAÇÃO. ANAIS do XXX Congresso Brasileiro de Espeleologia. Montes Claros MG, 09-12 de julho de 2009 - Sociedade Brasileira de Espeleologia. Pg:5.
Cascavel. Disponível em: www.ecologiaonline.com/cascavel-crotalus-durissus Acesso em: 06/06/2010.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 comentários:

  1. Meu nome é Marcelo Santiago, trabalho com serpentes a quase 20 anos e discordo de duas coisas ditas no texto. Primeiro, cascavéis são vivíparas e não ovíparas; e com relação às ecdises, a cascavel até pode acrescentar um anel cada vez troca a pele, mas isso necessariamente não tem que ocorrer.

    ResponderExcluir
  2. Olá senhor Marcelo, fico feliz com sua importante colaboração nesse blog, as correções já foram feitas conforme explicado.
    Votos de Paz,Saúde e Sucesso para o senhor e família!!!
    Atenciosamente
    Francisco V. de Souza,Graduando em Ciências Biológicas.

    ResponderExcluir