NOSSA PÁGINA

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Punaré(Thrichomys apereoides Lund, 1839); Fauna do RN

Animal mamífero roedor, conhecido popularmente como Punaré,Rabudo ou Rato boiadeiro, mas ele recebeu o nome científico que se chama, Thrichomys apereoides. Esse roedor pertence a família Echimyidae e a subfamília Eumysopinae,as mesmas a que fazem parte as espécies, Thrichomys inermis, Thrichomys laurentius, Thrichomys pachyurus e Thichomys sp. Espécie de hábitos terrestre e semi-arborícola, diurno e noturno, mas preferencialmente crepuscular(Streilen, 1982). Pelagem macia, sem pêlos aristiformes. Coloração do dorso cinza ou castanha. Superfície ventral branca,com limite bem definido com as laterais do corpo, que são um pouco mais claras que o dorso. Anel de pêlos brancos ao redor dos olhos. Cauda densamente pilosa,que pode estar ausente devido à facilidade com quese rompe,deixando o animal com a aparência muito semelhante ao Preá. Habita áreas abertas e florestais da Caatinga, do Cerrado e do Pantanal,tendo registros dessa espécie em Minas Gerais,Goiás e Bahia,mas essa espécie também ocorre aqui no Rio Grande do Norte,sendo encontrado principalmente na Caatinga. Vive em ocos de árvores, fendas rochosas e aglomerados de plantas espinhosas como a macambira. De tamanho um pouco superior ao de uma ratazana, o punaré é caça apreciada pelo sertanejo, que prepara armadilhas rústicas para sua captura(Lembrando que como ele é um animal silvestre da fauna brasileira, a sua caça não é permitida). O punaré alimenta-se de brotos, folhas e frutas silvestres, e aprecia o fruto do algodão. 

 Na época seca, alimenta-se de brotos de macambira e mandacaru e de cocos catolé. Pouco se sabe sobre sua reprodução, mas acredita-se que produza de um a três filhotes por ninhada, geralmente apenas dois (SANTOS, 1945). T. laurentius que ocorre do estado do Ceará ao da Bahia (Bonvicino

et al., 2002), é uma espécie críptica da espécie Thrichomys apereoides ,ou seja,elas são tão parecidas que não dar para diferenciá-las apenas por critérios morfológicos. T. laurentius é amplamente encontrado na caatinga,onde divide seu habitat rochoso com triatomíneos vetores da doença de chagas. Estes animais podem freqüentar as habitações humanas e já foram encontrados infectados em ambientes peridomiciliares ao redor do PARNA Serra da Capivara,PI, região onde se observa casos humanos da doença. Aliás,apenas dois gêneros de roedores caviomorfos foram até o momento, acompanhados experimentalmente em suas infecções pelo parasita Tripanossoma cruzi: Cavia e Thrichomys. Destes, apenas o segundo se encontra amplamente distribuído em algumas regiões do Brasil e pode ser considerado um potencial reservatório do parasito em algumas localidades. As  fotos em que, o Punaré estar no interior do oco de uma árvore,foram feitas na RRPN Mata Estrela,Baía Formosa,Rio Grande do Note, numa excursão em que participei.


REFERÊNCIAS:
ANAIS do XXX Congresso Brasileiro de Espeleologia Montes Claros MG, 09-12 de julho de 2009 - Sociedade Brasileira de Espeleologia COMPLEXO ESPELEOLÓGICO DA FURNA FEIA (RN):UMA PROPOSTA DE UNIDADE DE CONSERVAÇÃO SPELEOLOGY COMPLEX FROM FURNAS FEIA (RN): A PROPOSAL OF CONSERVATION UNIT. Pg:05.

Bonvicino, C. R.
Guia dos Roedores do Brasil, com chaves para gêneros baseadas em caracteres externos /
C. R. Bonvicino, J. A. Oliveira, P. S. D’Andrea. - Rio de Janeiro: Centro Pan-Americano de Febre
Aftosa - OPAS/OMS, 2008. Pg:105
 
Disponível em: http://www.fiocruz.br/chagas/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=32 Acesso em: 29/10/2010.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário