NOSSA PÁGINA

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Macambira Bromelia laciniosa Mart. ex. Schult.f.; Flora do RN















Planta conhecida popularmente como Macambira e cientificamente como Bromelia laciniosa, pertencendo a família Bromeliaceae,a mesma família da conhecida Abacaxi. Espécie de porte herbáceo,acaule. suas folhas são sésseis,invaginantes,linear-lanceoladas,resistentes,estriadas,geralmente de cor róseo acima da base,verdes com com estrias róseas na parte restante,podendo medir cerca de 1,50m de comprimento sobre 22mm de largura, terminada em ponta acerada, com as margens providas de acúleos muito fortes, de até 8mm de comprimento, os inferiores recurvados para baixo e os superiores para cima. Suas flores arroxeadas se apresentam dispostas em inflorescências alongadas,usualmente paniculadas, erguidas no centro das folhas,densas. O seu fruto é do tipo baga, angulosa,medindo cerca de 6cm de comprimento. 
Autor: APNE/CNIP
A Macambira é aproveitada na alimentação dos animais e da espécie humana, durante longos períodos sem chuvas, ela se torna um recurso primordial, do qual se utiliza o sertanejo quando já não há na região ao seu alcance, a farinha de mandioca e outros alimentos. A massa comestível de que se fabrica o pão é extraída da base das folhas que, na parte de inserção, no mangará(nome vulgar dado ao caule reduzido), são alargadas e dispostas em roseta. Superpondo-se, formam o que se chama cabeça. Para formar a cabeça cada folha se dilata quase bruscamente,constituindo uma base de mais ou menos 10cm de comprimento e 8cm de largura,convexa na parte ventral e côncava na dorsal, a qual recebe o nome vulgar de capa. É nas capas que se encontra a substância amilácea, tanto mais abundante quanto mais próxima da inserção no mangará.(...) no final do processo, as capas são piladas,operação que tem por fim facilitar a separação da fécula do material não aproveitável,constituído principalmente de fibras. A massa bruta é lavada em água três ou quatro vezes. Lavada e decantada, a massa envolta em pano é levada para enxugar a uma prensa rudimentar. Depois de enxuta, a massa é posta ao sol para secar. Com ela se faz, em cuscuzeira, um pão semelhante ao do milho. Este é comido com leite,com carne, em forma de pirão e, finalmente, com água,como é mais comumente usado. Com "água no sal", é intolerável e dizem até que comido por meses consecutivos faz inchar.

Autor: APNE/CNIP
   Quando a macambira destina-se aos burros de carga,cavalos e animais novos, as cabeças são divididas longitudinalmente em talhadas que compreendem o próprio mangará, as quais são cortadas transversalemente em pequenos pedaços. para a alimentação dos bovinos, em geral, os fazendeiros menos prudentes ateiam fogo nos aglomerados de macambira, e aí pasta o gado diretamente. Com o fogo queimam-se as folhas e as cabeças ficam assadas, desprendendo-se as capas com relativa facilidade quando puxadas pelos animais. há, todavia, um desperdício imenso, além do que destruição quase total das formações de macambiras, não esquecendo de destacar o grande impacto ambiental destrutivo em decorrência das "queimadas". O nome é uma corrutela de mã-cambira, o molho pungente, cheio de espinhos. A Macambira é uma planta típica da Caatinga e tem ampla distribuição geográfica na região Nordeste do Brasil, ocorrendo do estado do Piauí a Bahia.
REFERÊNCIAS:
Renato Braga.Plantas do nordeste,especialmente do Ceará. Fortaleza:coleção mossoroense-volume XLII,1996. Pgs:325-328.
Revista da FAPERN. Ciência Sempre. ANO 5- abril/ junho 2009. O Conhecimento da Caatinga potiguar e o desafio do desenvolvimento sustentável. por Ramiro Gustavo Valera Camacho. pg:53.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um comentário:

  1. A farinha da macambira é composta, em sua maior proporção (63,1%), de amido, uma substância química parecida à da farinha de mandioca, porém com um teor protéico bem mais elevado, próximo das farinhas de milho e arroz. Ainda é rica em cálcio, quinze vezes mais alto que o leite, e três vezes mais elevado que o queijo, sendo uma das farinhas mais nutritivas do mundo. Em se tratando dos rebanhos, é importante registrar que, comendo um quilo desse alimento, os animais podem acumular, até, 248 gramas de gordura. Os vaqueiros ressaltam, além disso, uma outra vantagem: o gado que come as flores e os frutos da macambira não sente necessidade de ir ao bebedouro atrás de água.

    Por sua vez, com o farelo do caule da macambira - uma parte bastante nutritiva da planta - os sertanejos alimentam seus animais domésticos, tais como galináceos e suínos.

    ResponderExcluir