NOSSA PÁGINA

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Ipê Branco Tabebuia roseo-alba (Ridl.) Sandwith; Flora do RN


















 
     Planta conhecida popularmente conhecido como Ipê branco, pau d´arco, ipê do cerrado e Peroba de acordo com a região onde se encontra, mas cientificamente foi denominado como Tabebuia roseo-alba, nome único em qualquer parte do mundo. Tabebuia roseo-alba pertence a família Bignoniaceae, família típica das plantas conhecidas comumente como Ipês,pau d´arco, jacarandás, etc. Espécie de porte árboreo com altura variando de 7 a 16 m, e apresentando tronco de 40-50 cm de diâmetro.



































     Suas folhas são compostas trifolioladas( 3 folíolos), sendo seus folíolos levemente pubescentes(coberto de pêlos finos e curtos) em ambas as faces. Os menores folíolos variam de 6 a 11 cm de comprimento e o maior com 8 a 13 cm.do mês de agosto a outubro apresenta-se florido(pode acontecer mais de
uma vez no ano) com flores brancas ou rosadas, tornando-se um espetáculo para aqueles que apreciam a sua beleza, sendo extremamente ornamental, o que tornou a espécie muito presente hoje na ar
borização de ruas e avenidas do Brasil. Outro motivo que o tornou popular no uso paisagístico, são suas folhas de cor verde azulada e forma piramidal da copa.
Foto: Flávio Brandão
     Por ser uma planta decídua(cujas folhas caem em uma época do ano), durante a floração apresenta-se totalmente despida de folhagem. Os seus frutos são "vagens" de cor verde e lisa de 18 cm e começam amadurecer a partir de outubro. Em função de sua adaptação à terrenos secos e pedregosos, é muito útil para reflorestamentos nesse tipo de ambiente, destinados à recomposição da vegetação arbórea. Sua madeira pode ser empregada na construção civil, principalmente para acabamentos internos.














     Sua ocorrência estende-se do Norte do estado de São Paulo, Minas Gerais,Mato Grosso do Sul e Goiás, na floresta latifoliada semidecídua. Aqui no estado do Rio Grande do Norte, encontrei registros da ocorrência dessa espécie no Parque das dunas e Parque da cidade. Planta Heliófita(que exige exposição total ao sol) e seletiva xerófita, característica de afloramentos rochosos e calcários da floresta semidecídua (plantas que perdem parcialmente suas folhas na estação seca). Ocorre tanto no interior da mata primária como nas formações secundárias. É esparsamente encontrada também na caatinga do Nordeste Brasileiro. É particularmente frequente nos terrenos cascaínentos das margens do pantanal matogrossense. Produz anualmente grande quantidade de sementes, facilmente disseminadas pelo vento.
Obtenção de sementes - Colher os frutos diretamente da árvore quando iniciarem a abertura espontânea. Em seguida deixá-los ao sol para completarem a abertura e liberação das sementes. Um quilograma contém aproximadamente 71.000 sementes.
Produção de mudas - Colocar as sementes para germinar logo que colhidas em canteiros ou embalagens individuais contendo substrato organo-argiloso. A emergência ocorre em 8-18 dias e a germinação geralmente é superior a 40%. Transplantar as mudas dos canteiros para embalagens individuais quando alcançarem 4-6 cm. O desenvolvimento das mudas é rápido, ficando prontas para plantio no local definitivo em 3-4 meses. O desenvolvimento das plantas no campo é também rápido.











Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um comentário:

  1. Apesar de levarem o mesmo nome científico, a Peroba e o Ipê Branco, apresentam algumas diferenças morfológicas. A Peroba tem suas flores na cor rosa predominantemente, o seu caule é mais fissurado e elas apresentam leve diferença quanto a forma das folhas. Outra diferença importante é que a Peroba tem suas flores individuais, no máximo em dupla e o ipê branco, flora em cachos.

    ResponderExcluir