NOSSA PÁGINA

domingo, 27 de agosto de 2017

Cabeça-de-velho Spilanthes urens Jacq.

Espécimes fotografados no campus central da UFRN em Natal,RN,Brasil.
  Planta conhecida popularmente como "Cabeça-de-velho", entretanto seu nome científico é Spilanthes urens Jacq. 
   Espécie terrestre de porte herbáceo que apesar de ter origem nativa, não é endêmica do Brasil, ocorrendo também na Colômbia, Costa Rica, México, Cuba, Jamaica e Venezuela.  Sua distribuição geográfica em território brasileiro, por enquanto foi confirmada apenas para os biomas da Amazônia e Cerrado, estando presente nas seguintes regiões e respectivos estados: Norte (Amazonas e Pará), Nordeste (Rio Grande do Norte), Centro-Oeste (Mato Grosso, Goiás e Mato Grosso do Sul), Sudeste( Minas Gerais) e Sul (Paraná).

Referências
Organizador Rafaela Campostrini Forzza... et al. Catálogo de plantas e fungos do Brasil, volume 1. Rio de Janeiro : Andrea Jakobsson Estúdio : Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Phoebis sennae ( Linnaeus , 1758 )

Phoebis sennae  ( Linnaeus , 1758 ) é o nome científico dessa espécie que é uma das borboletas mais comuns no Brasil, sendo observada geralmente em áreas abertas como bordas de matas, margens de estradas, jardins, matagais, parques e campos. Nesses ecossistemas, os indivíduos adultos de P. sennae se alimentam de néctar das flores de muitas espécies com túbulos longos, como por exemplo, Hibisco.  Ela tem ocorrência confirmada na América do Sul até o Sul do Canadá.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, 5 de agosto de 2017

Mandevilla scabra (Hoffmanns. ex Roem. & Schult.) K.Schum.

Mandevilla scabra é uma espécie de planta nativa, não endêmica do Brasil que ocorre nos biomas da Mata Atlântica, Caatinga, Cerrado e Amazônia. Ela tem ocorrência confirmada em todas as regiões do país. 
Essa Liana latescente tem flores tubulosas, de coloração amarela com a fauce variando de laranja a vermelho, apresentando potencial ornamental, florescendo e frutificando de janeiro a maio.
Tenho observado-a geralmente em bordas de florestas ou de trilhas.

Referências
Organizador Rafaela Campostrini Forzza... et al. Catálogo de plantas e fungos do Brasil, volume 1. Rio de Janeiro : Andrea Jakobsson Estúdio : Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...