NOSSA PÁGINA

sábado, 10 de janeiro de 2015

Trevo Oxalis divaricata Mart. ex Zucc.; Flora do RN

   Planta conhecida popularmente como Trevo, Azedinha ou Azedinho, entretanto seu nome científico é único,Oxalis divaricata Mart. ex Zucc.. Ela pertence a família Oxalidaceae, tendo todos os representantes desse táxon ácido oxálico em suas folhas,flores e frutos, o que lhes confere sabor azedo.
   Essa espécie perene é de porte herbáceo ou subarbustivo(raro), ela apresenta folhas trifoliadas, daí um dos seus nomes populares ser "trevo", frutos capsulares de sabor azedo assim como também são suas folhas, de onde derivou os outros nomes populares "Azedinha" ou "Azedinho"; suas flores com pétalas amarelas de grande beleza tornaram-a uma boa opção para uso ornamental, além disso por ser uma espécie visitada principalmente por abelhas nativas, torna-se uma espécie importante para contribuir com a conservação dessas, podendo ser incentivado sua utilização em jardins especialmente em regiões onde ela ocorra naturalmente. Floresce no período da estação chuvosa. Propaga-se por meio de sementes.
   Planta tipicamente brasileira, apresenta ampla distribuição no Brasil, ocorrendo nas regiões Nordeste,Centro-Oeste,Sudeste e Sul, desenvolvendo nos Biomas da Mata Atlântica,Cerrado,Amazônia e Caatinga,ocorrendo principalmente em locais arenosos e sombreados desse. É encontrada em ambientes antropizados como lavouras,pastagens e áreas de fruticultura irrigada. 

Algumas informações técnicas da espécie: Oxalis divaricata Mart. ex Zucc.
"Apresenta caule subterrâneo do tipo rizoma, que dá origem a numerosos ramos aéreos, de superfície cilíndrica, carnosos, verdes e revestidos por pilosidade branca. Folhas alternadas, opostas ou verticiladas na mesma planta, estando constituídas por pecíolo longo e tomentoso. Limbo composto por três folíolos peciolulados. Folíolo superior em formato oblongo ou obovalado, com o ápice arredondado, podendo ser emarginado, e folíolos inferiores em igual formato, porém, pouco menores. Inflorescência axilar e terminal do tipo dicásio, com longo eixo também tomentoso. Flores pedunculadas, cálice com 5 sépalas livres, triangulares, externamente pilosas, verdes com bordos vináceos ou todas vináceas, corola amarela com 5 pétalas soldadas, formando um tubo largo e reto, com estrias avermelhadas internamente. Androceu constituído por estames de tamanhos diferentes e gineceu pluricarpelar com estigmas lobados. Fruto seco do tipo capsular."

   O registro fotográfico que ilustra esse texto foi feito durante uma trilha na Serra do Cuó, em Campo Grande no estado do Rio Grande do Norte, em 29 de junho de 2013. Nessa área a vegetação típica é a Caatinga, o espécime da foto foi registrada em local arenoso e sombreado no alto da Serra.

Referências

Det.: J. Jardim, set.2013

Camila Maia-Silva...[et al.]. Guia de plantas: visitadas por abelhas na Caatinga. 1. ed. Fortaleza, CE : Editora Fundação Brasil Cidadão, 2012.

Castro, Antonio Sérgio& Arnóbio Cavalcante. Flores da caatinga = Caatinga flowers . Campina Grande: Instituto Nacional do Semiárido, 2010.

Moreira, Henrique José da Costa. Manual de identificação de plantas infestantes: hortifrúti. Bragança – São Paulo: FMC Agricultural Products, 2011.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário