NOSSA PÁGINA

domingo, 11 de maio de 2014

Borboleta-estaladeira Hamadryas amphinome (Linnaeus 1767); Fauna do RN

  Borboleta conhecida popularmente como Borboleta-estaladeira, visto que quando voam as asas dos machos produzem estalidos secos, Estaladeira-vermelha (a parte interna inferior de suas asas é de coloração vermelha),Borboleta-assenta-pau, mas seu nome científico é Hamadryas amphinome. O som é produzido durante o voo da borboleta a partir da vibração de um par de hastes espinhosas na ponta do abdômen contra cerdas no clasper anal. Apesar de só os indivíduos machos produzirem o som, ambos os sexos detectam o mesmo, através de suas asas cobertas de membranas que vibram em resposta ao som, estimulando as terminações nervosas. A finalidade do som ainda não é conhecida. Supõe-se, que eventualmente impeça os machos concorrentes de ocupar o mesmo território, ou poderia atuar como um gatilho para iniciar a primeira resposta de uma fêmea durante o namoro.
  Suas as asas são de cor preta aveludada com um brilho azul e um padrão de manchas azuis brilhantes. A cor azul produzida por difração de luz a partir de saliências prismáticas microscópicas na superfície das escalas da asa. A cor varia um pouco de acordo com a qualidade, intensidade e ângulo da luz, de modo que pode aparecer como o céu azul, turquesa ou mesmo esverdeada em matiz.

  Hamadryas amphinome é comumente vista em troncos de árvores ou arbustos a cerca de 2m de altura, adotando uma postura de cabeça para baixo, com as asas achatadas contra a casca. As borboletas vão se aquecer nesta posição por longos períodos para esperar companheiros em potencial. Tanto indivíduos machos como fêmeas passam a maior parte de seu tempo se aquecendo no alto de troncos de árvores, muitas vezes de 10 metros ou mais acima do solo. Curiosamente sentam-se lá por horas com as asas abertas, sempre viradas para baixo mantendo um olhar atento para potenciais companheiros e ou intrusos. Às vezes eles descem e se aquecem mais em baixo, a uma altura de apenas um par de metros, mas a presença da menor perturbação imediatamente voa de volta para o alto da árvore. Eles permanecem lá até que a ameaça desapareça, e, em seguida, descem o tronco da árvore saltando através de uma série de vôos curtos, deslocando-se a pequena distância de cada vez, até depois de meia hora ou assim eles terem retomado a sua posição original.
  Machos de H. amphinome defendem territórios de acasalamento. Os residentes são maiores e possuem asas mais desgastadas do que os intrusos. Os estalos figuram notavelmente durante as interações, porém sem um papel definido (Lourenço, Victor T.,2011).
  Após o acasalamento dos indivíduos adultos, a fêmea deposita seus ovos de cor branca, em cadeias de 5-10 em cima uns dos outros, com 30-100 ovos, pendurados em baixo de uma folha. As larvas(lagartas) que saem dos ovos, quando no ápice do seu crescimento são de cor negras, com marmoreio amarelo ao longo das costas, e têm espinhos pretos multi-ramificados, exceto para aqueles localizados no meio que são de cor laranja. Elas em grupos se alimentam de folhas da espécie vegetal  Dalechampia scandens (Euphorbiaceae).  A crisálida se parece muito com uma pequena folha murcha. Ela varia da cor verde a marrom escuro, e tem um par de chifres na cabeça e fica suspensa em uma folha ou caule, sofrendo transformações, a partir da qual se originará um indivíduo adulto alado.
  A borboleta-estaladeira(Hamadryas amphinome)  se mantém ativa desde o nascer ao pôr do sol, e raramente é vista longe de troncos de árvores ou arbustos. Ela se alimenta principalmente de frutas em decomposição.
  Hamadryas amphinome é encontrada em habitats de floresta tropical secundária ou perturbados, em altitudes entre cerca de 0-1500 metros. Também ocorre em florestas caducifólias secas ou úmidas, onde muitas vezes pode ser abundante.  Essa espécie encontra-se distribuída desde o México até o Peru.
  Durante minhas excursões pelo estado do Rio Grande do Norte, observei essa espécie em vários municípios,como Parnamirim,Monte Alegre,São José de Mipibu,Nísia Floresta, na maioria das vezes em área de pomares, principalmente em troncos de mangueiras, às vezes juntamente com Hamadryas februa e Hamadryas feronia.

Classificação científica:  
Reino: Animalia; Filo: Arthropoda; Classe: Insecta; Ordem: Lepidoptera; Família: Nymphalidae; Gênero: Hamadryas Hübner 1806 ; Espécie: Hamadryas amphinome (Linnaeus 1767)

Referências
Victor Toni Lourenço. DEFESA DE TERRITORIOS DE ACASALAMENTO EM HAMADRYAS AMPHINOME LINNAEUS (LEPIDOPTERA; NYMPHALIDAE). X Congresso de Ecologia do Brasil, 16 a 22 de Setembro de 2011, São Lourenço – MG.

Hamadryas amphinome. Disponível em: http://www.learnaboutbutterflies.com/Amazon - Hamadryas amphinome.htm Acesso em 10 de maio de 2014.      
               

Hamadryas amphinome. Disponível em: http://eol.org/pages/166283/hierarchy_entries/55717355/overview Acesso em 10 de maio de 2014.  
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um comentário:

  1. Temos um apartamento em Curitiba junto a um bosque com borboletas que estalam quando voam juntas. Praticamente todos os dias de verão podemos ouvir os estalos. Elas são de coloração cinza.

    ResponderExcluir