NOSSA PÁGINA

segunda-feira, 9 de março de 2015

Tesourinha Labidura cf riparia ; Fauna do RN

 Inseto conhecido popularmente como Tesourinha,Tesourinha-listrada,Tesoura,Lacraia, Lacrainha,Rapelho, Bicha-cadela, Bicho-da-lenha ou rapelho, entretanto seu nome científico é Labidura riparia (Pallas, 1773). Pertence a Ordem Dermaptera e a família Labiduridae.
  Entre os insetos apresenta como característica notável os cercos em forma de pinça no ápice do abdômen, sendo geralmente estes ramos maiores nos machos, denteados e curvos, enquanto que as fêmeas possuem "pinças" menores com uma curva no final, que são utilizadas por ambos os sexos para ajudar na captura de presas(predação), na defesa, na seleção sexual, cortejo e acasalamento e ainda na acomodação das asas. O comprimento total do corpo varia de 16 mm a 30 mm, com 10 segmentos abdominais. 
  É considerada uma predadora generalista de hábito noturno, alimentando-se de uma variedade de insetos, principalmente de ovos de de lepidópteros, sendo reconhecida como uma espécie viável no controle de afídeos, e associada como importante predador da Broca da cana (Diatraea saccharalis) e Spodoptera littoralis , além de ser citada como predadora de outros insetos pragas. Na ausência de presas convencionais, registrou-se ela comendo ovos e ninfas de sua própria espécie. As fêmeas podem passar longos períodos de tempo sem se alimentar durante o período de preparação da postura dos ovos. É uma espécie subsocial com hábitos maternos complexos. A fêmea escava um ninho sob uma casca de uma árvore ou uma rocha e põe de 60 a 100 ovos e cuida destes por cerca de 10 dias até a eclosão dos mesmos. Em seguida a mãe sai em busca de alimentos para os filhotes, alimentando-os até que eles deixem o ninho, o que ocorre entre 2 e 5 dias após o nascimento.
  De hábito terrestre, prefere ambiente úmido e escuro onde se abriga durante o dia, sendo encontradas em florestas, áreas de terra cultivadas ou não, margens de lagoas ou lagos. Apresenta uma distribuição cosmopolita, ocorrendo principalmente em regiões tropicais e subtropicais.
  Durante as minhas excursões pelo estado do Rio Grande do Norte, observei essa espécie nos municípios de Nísia Floresta e em Parnamirim, onde foi feito esse registro fotográfico durante a noite em minha residência.

Referências

Bassal,Taha T. M.  , M. E. El-Naggar , N. M. Fahmy , M. A. A. Dorrah, M. H. Sallam , and M. S. Salama. CARNIVORY, RATE OF DIGESTION, AND PREY CONSUMPTION BY Labidura riparia (DERMAPTERA: LABIDURIDAE).  EFFLATOUNIA, 1: 13-19 (2001).

Buzzi, Z. J. Entomologia Didática. 6. ed. Ed. UFPR,2013.
 
Labidura riparia. Disponível em: > http://en.wikipedia.org/wiki/Labidura_riparia
< Acesso em: 03 de mar. de 2015.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

6 comentários:

  1. Oi! E vi uma população no litoral sul do RN também, além, tem uma outra espécie que habita a praia de Touros, se chama Labidura xanthopus. Eu estudo esses bichos. Obrigada pelos comentários!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá senhora Solimary, fico feliz com sua participação nesse blog.
      Muito bom saber que existe outra espécie no estado e melhor ainda saber que tem uma pesquisadora estudando esse táxon no RN.
      Sucesso!!!

      Excluir
  2. Já lembrei o nome da praia no sul, é Sagi. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá senhora Solimary, fico feliz com sua participação nesse blog. Muito obrigado por compartilhar essas informações a respeito de uma outra espécie no RN e da área de ocorrência das mesmas.
      Sucesso!!!

      Excluir
  3. Apareceu no banheiro da minha casa em Araçatuba, interior de São Paulo, é venenoso ou coisa do tipo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Unknown.
      São insetos inofensivos para o ser humano.

      Excluir