NOSSA PÁGINA

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Peixe Boi Marinho Trichechus manatus (Linnaeus,1758); Fauna do RN
















Mamífero aquático conhecido popularmente como Peixe boi marinho e cientificamente como Trichechus manatus. mamífero da ordem Sirenia e da família Trichechidade. Trichechus manatus é uma espécie relativamente grande, e semelhante a espécie Trichechus inunguis,peixe boi da Amazônia, sendo maior que este, podendo atingir até 4,5m e podendo pesar 1590 kg. Trichechus manatus é um animal de movimentos lentos e letárgicos, são normalmente vistos sozinhos ou em grupos de até seis indivíduos. Corpos robustos e pesados e cauda achatada, larga e disposta de forma horizontal. Cabeça pequena, sem pescoço definido, o corpo exibe numerosas dobras e rugas. Focinho largo, lábios bastante flexíveis com pêlos na parte superior. Dois orifícios respiratórios na parte da frente do focinho. Possui pêlos finos distribuídos por toda a superfície do corpo. Cada nadadeira peitoral possui 3 a 4 unhas nas pontas. A pele é geralmente cinza ou marrom, com manchas esverdeadas devido à presença de algas. Dentadura reduzida e molares, que se regeneram constantemente.
 





Alimenta-se de plantas aquáticas, algas e partes da vegetação de mangues. Possui baixa taxa reprodutiva: a fêmea tem geralmente um filhote a cada três anos, sendo um ano de gestação e dois anos de amamentação. Nasce apenas um filhote após doze meses de gestação. Espécie de hábitos costeiros e estuarinos de regiões tropicais e subtropicais do sudeste dos Estados Unidos, Golfo do México, Mar do Caribe e costa do Atlântico (Nordeste do Brasil). No Brasil, considera-se o peixe boi marinho como desaparecido nos estados do Espírito Santo,Bahia(ALBUQUERQUE; MARCOVALDI, 1982; BOROBIA; LODI, 1992) e Sergipe (LIMA et al., 1992). As atuais áreas de ocorrência da espécie abrangem os estados de Alagoas até o Amapá,porém, com áreas de descontinuidade em Pernambuco, Ceará (LIMA,1997), Maranhão e Pará (LUNA, 2001). Áreas de importante ocorrência estâo sendo monitoradas a partir da Base de Pesquisa e Conservação do CMA/IBAMA em Itamaracá-PE, responsável pelo resgate, reabilitação e reintrodução monitorada de filhotes encalhados oa longo do litoral. existem bases implantadas atuando nos estados de Alagoas, Paraíba e Piauí. Outras áreas de ocorrência significativa são a praia do Sagi (RN), litoral leste do Ceará, Golfão Maranhense e baía de Tubarão (MA), região das reentrâncias (MA,PA) e entre a ilha de Maracá e foz do Oiapoque( AP) (LIMA;1997; PALUDO,1997; LUNA,2001).
 








A estimativa da população total é de aproximadamente 500 animais (LIMA,1997; LUNA, 2001). O peixe boi marinho é a espécie de mamífero aquático mais ameaçada no Brasil, por estar sujeito tanto à mortalidade intencional quanto à acidental(OLIVEIRA et al., 1990; LIMA,1997; LUNA,2001). No litoral do Nordeste, as principais ameaças são o encalhe de filhotes e a captura acidental em redes de emalhe,tapagem,arrasto camaroeiro e currais de pesca,seguidos de morte intencional(LIMA,1997). A degradação dos hábitats constitui outra ameaça e atinge o litoral nordestino, como implantação de projetos de carcinocultura, o assoreamento dos estuários e a grande concentração de barcos motorizados, impedem o acesso dos peixes bois a locais importantes de alimentação,reprodução e suprimento de água doce.

REFERÊNCIAS:
Edições IBAMA. Mamíferos aquáticos do Brasil: plano de ação,versão II. 2. Ed. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis,2001. Pgs:33-34.
Crédito das Fotos. 
Disponível em: http://nature.ca/notebooks/english/florman_p0.htm  Acesso em: 27/12/2010. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário